TrocaLetras

13/06/2009

Poesia de Florbela Espanca- Volume 2

Filed under: Poemas — lehhp @ 18:00

É meu primeiro post aqui, não sei bem como começar, mas acredito que com o tempo eu vá pegando o jeito!
Comecei a ler esse livro de poesias, porque além de eu amar poesias eu amo a Florbela Espanca, e nao foi surpresa nenhuma eu ter amado o livro.
O livro contém varias poesias que mostram a insaciavel vontade amar que a poetisa tinha, Florbela não saberia escrever sobre outras coisas, senão sobre o amor.
Quem for romântico, ou até desiludido com sua vida amorosa, está recomendado!

Os versos que te fiz

Deixa dizer-te os lindos versos raros
Que a minha boca tem pra te dizer!
São talhados em mármore de Paros
Cinzelados por mim pra te oferecer.

Têm dolência de veludos caros,
São como sedas pálidas a arder…
Deixa dizer-te os lindos versos raros
Que foram feitos pra te endoidecer!

Mas, meu Amor, eu não tos digo ainda…
Que a boca da mulher é sempre linda
Se dentro guarda um verso que não diz!

Amo-te tanto! E nunca te beijei…
E nesse beijo, amor, que eu te não dei
Guardo os versos mais lindos que te fiz!

6 Comentários »

  1. Meu, Florbela Espanca!!!! Q saudades!!! Ela é realmente sensível e desiludida… Meus poemas preferidos sao °Amiga° e °Eu°, pois me tocam e muitas vezes me sinto na mesma situaçao … “Me deixa ser tua amiga amor, já que ….” Enfim, vale a pena conferir!

    Comentário por barbieauglend — 13/06/2009 @ 20:30 | Responder

  2. Adorei o post de estréia!! E me interessei em conhecer Florbela ^^
    Vou sequestrar seu livro rsrsrs

    Comentário por Pandora — 13/06/2009 @ 22:03 | Responder

  3. hehehe que bom que gostarraamm!, pode sequestrarrrr, vc vai adorarr!, barbieauglend esses poemas são lindos mesmo, eu tbm me identifico com muitos poemas dela!

    Comentário por Leh — 14/06/2009 @ 03:09 | Responder

  4. Estou apaixonada por esse livro!

    Comentário por lehhp — 23/07/2009 @ 01:09 | Responder

  5. O único poema que conheço de Florbela é o popular Fanatismo, que foi musicado pelo Fagner. É puro romantismo e sofrimento de amor, como foi a vida da poetisa portuguesa. Talvez compre esse livro, mesmo tendo uma terrível dificuldade em lidar com compreensão de poemas…rs

    FANATISMO

    Minh’ alma, de sonhar-te, anda perdida
    Meus olhos andam cegos de te ver
    Não és sequer a razão do meu viver
    pois que tu és já toda minha vida
    Não vejo nada assim enlouquecida…
    Passo no mundo, meu amor, a ler
    No misterioso livro do teu ser
    A mesma história, tantas vezes lida!
    “Tudo no mundo é frágil, tudo passa…”
    Quando me dizem isto, toda a graça
    Duma boca divina, fala em mim!
    E, olhos postos em ti, digo de rastros:
    “Ah! podem voar mundos, morrer astros,
    Que tu és como um deus: princípio e fim!…
    Eu já te falei de tudo, mas tudo isso é pouco,
    diante do que sinto.

    Comentário por Max Wolf — 21/09/2009 @ 14:55 | Responder

  6. Nossaa esse poemaa é lindo tbmm, adoro a parte do ‘Não és sequer a razão do meu viver, pois que tu és já toda minha vida’

    Comentário por lehhp — 22/09/2009 @ 22:23 | Responder


RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: