TrocaLetras

13/01/2009

A Cabana – William P. Young

Filed under: Livros de gosto duvidoso — barbieauglend @ 00:40

O principal questionamento do livro é  “Se Deus é tão poderoso e tão cheio de amor, por que não faz nada para amenizar a dor e o sofrimento do mundo?”.

A filha mais nova de Mackenzie (personagem central do livro) foi raptada durante um passeio com o pai e os irmãos. A polícia suspeita que ela tenha sido vítima de um serial-killer e tenha sido torturada e assassinada de forma cruel.

Alguns anos após, Mack recebe um bilhete supostamente escrito por Deus, convidando-o a passar um final de semana no local onde os vestígios do crime haviam sido encontrados, uma cabana. Acaba indo para o local sozinho, com o segredo do bilhete compartilhado com apenas um amigo, certo de que esse final de semana poderia mudar a sua vida.

Uma idéia que tinha tudo para dar certo e foi mal trabalhada. Creio que o escritor tentou deixar a história simples e tornar a Trindade acessível e próxima, porém conseguiu apenas banalizar a idéia de algo superior, deixando os mais crentes chocados.

Não recomendo essa leitura que considerei total perda de tempo, chata e cansativa.

* Só para constar, não sou cristã.

15 Comentários »

  1. Eu vi a sinopse desse livro e, sinceramente, não tive a mínima vontade de ler.
    Várias pessoas falaram que é muito bom mas…achei a história um tanto bizarra.
    Pra quem é religioso pode ser que seja uma boa leitura. Ou não! rsrs

    Comentário por Pandora — 13/01/2009 @ 14:30 | Responder

  2. Não via essa historia de bilhetinhos desde o “Mundo de Sofia”.
    Mesmo eu sendo Cristão Catolico, eu não entrarei em detalhes nessa questão pois até então não é esse o intuito do Blog, até porque respeito a individualidade de cada um.
    Ouvi falar a respeito desse livro, se eu achar em e-book, eu lerei tirarei as minhas proprias conclusões (nossa esse já será o quarto livro que irei ler huahuahuahua).

    Mas um vez agradeço ao Blog Troca Letras, pelas otimas dicas de livros dada diariamente, acessando aqui todo dia eu retomei o habito da leitura, e percebi o quanto isso é prazeroso!!!!

    Obrigado!!!

    Comentário por Fila Benario — 13/01/2009 @ 16:26 | Responder

  3. Fila!! Fiquei muito feliz com teu comentário, garoto! Muito bom saber que a gente anda inspirando alguém a ler =)

    Comentário por Pandora — 13/01/2009 @ 21:01 | Responder

  4. É sempre bom inspirar alguém a ler!!!😀 Também fiquei feliz de fazer parte desse grupo!!!

    Comentário por barbieauglend — 13/01/2009 @ 21:12 | Responder

  5. Esse eu terei que experimentar, porque recebi de presente de natal…rs

    Também ganhei “A Fórmula de Deus”, onde se não me falha a péssima memória, Einstein tenta provar cientificamente a existência de Deus, ou coisa parecida.

    Provavelmente eu devo passar uma imagem de cético inveterado, o que nem é o caso. Se não sou cristão praticante, minhas dúvidas me deixam longe de me considerar cético.

    Enfim, essa crítica desanimou minha próxima leitura…rs

    Ainda bem que ainda tenho comprado “O Herege”, “Eclipse” (rs) e mais alguns.

    Ter fama de devorador de livros é ótimo! Porque ganho muitos e como leio devagar… nunca estou sem um livro novo para ler…rs

    Comentário por Max Wolf — 19/02/2009 @ 11:22 | Responder

  6. Sei que pode parecer estranho, mas acabo de comparar Matrix (e o Oraculo) com o Deus do sr Young:/

    Comentário por barbieauglend — 11/04/2009 @ 18:44 | Responder

  7. Eu li, é realmente um livro meio bobo mas, e acho q os evangelicos – os mais fanáticos – naum deveriam le-lo, pois vao se achar os proprios cristos. Pq tem uma parte q “papai” revela q cristo foi um homem comum, sem poderes, o q o fez curar e ressucitar foi a fé q ele tinha em Deus… Acho q as pessoas deveriam tomar cuidado com o que escrevem, tem muita gente influenciavel…

    Comentário por Lilian — 17/06/2009 @ 23:01 | Responder

  8. Uso de elementos que deram certo em outras mídias.

    Digo isso pois, a carta que Mack recebe de papai me remeteu ao game Silent Hill 2, em que o personagem principal também recebe uma carta de sua esposa morta há dois anos.

    Outro elemento copiado foi a assinatura no assassino, que é similar a do assassino de Silêncio dos Inocentes.

    Mas, a cópia mais descarada de todas: Deus foi descrito como uma senhora de meia idade, afro-descendente, que cozinha bolinhos!!! Será mera coincidência com a Oraculo de Matrix???

    No mais, é uma boa leitura, e só.

    Comentário por gustavo — 18/06/2009 @ 14:23 | Responder

  9. Primeiramente, antes de comentar sobre o livro, queria dizer que não sou religioso, que meus conhecimentos de teologia são risíveis e que minha confusão sobre certos temas que as pessoas parecem ter absoluta certeza em mim despertam absolutas dúvidas.

    Nesse exato momento acabo de ler “A Cabana”. Achei a estória tocante.
    Percebi explicações que jamais havia percebido.
    Achei-o fascinante.
    Uma visão simples de toda a notação complexa que tentam guardar… a simplificação de tantas dúvidas que o comércio religioso pretende que sejam um mistério difícil, cheio de necessidades de ajuda para compreendê-lo.
    Algumas das minhas dúvidas mais antigas se dissiparam com a simplicidade de algumas palavras como: Amor e livre arbítrio.
    Não posso contar mais nada do que senti, porque o sentimento é a própria essência da história.
    Despi-me de preconceitos, mesmo confessando que em vários momentos achei o livro estranho, e, então, mergulhei na história de maneira livre, sem esperar grande coisa.
    Recomendo.

    Comentário por Max Wolf — 20/07/2009 @ 16:30 | Responder

  10. Oi gente! Li o livro e simplesmente a-do-rei!! O comentário do Max acima é exatamente o que eu penso. Tem que ler o livro sem preconceitos senão não vai encontrar a essencia da história. Na verdade, é uma história real. Acredito que o Mack deve ter vivido tudo em um “sonho”, mas é uma forma “real” de Deus falar com as pessoas. Sou cristã/evangélica, e recomendo para os descrentes também. É ótimo! Muito bom mesmo!

    Ah, acerca de um comentário que li aqui, Jesus Cristo realmente veio como um homem comum. Sem poderes especiais, pois ele não era paranormal. Tudo o que Ele fez foi mediante os poderes concedidos por Deus. E, sim, nós também podemos ter esses “poderes”. O próprio Cristo disse para sermos seus imitadores como ele era do Pai. Mesmo acreditando em Deus e tudo o mais, esse livro me abriu os olhos para certas coisas. Leiam e tirem suas próprias conclusões.

    Comentário por Ana — 30/09/2009 @ 21:20 | Responder

  11. Olá, jovens leitores e grandes questionadores🙂

    Quando vi a polêmica sobre A Cabana, logo me interessei, e desde essa semana estou com ele em mãos – mais um elemento da casa de minha titia que foi sequestrado por minha pessoa.. me sinto a própria Liesel ( A Menina que Roubava Livros), rsrs
    Devo dizer que o que fascina neste livro é justamente sua simplicidade e sua maneira sutil de mostrar a Deus não como um julgador mas sim como um verdadeiro apaixonado pelo ser humano – o ser imperfeito cujas imperfeições são chaves para alcançá-lo.

    É, logo se vê que sou uma cristã. Mas, nem por essa razão o considero algo ruim e deveras exagerado como ouvi alguns amigos comentarem. Esse livro é justamente para àqueles que por algum motivo se vêem afastados de Deus. Eu o vejo como uma história de amor. E que, repito, a simplicidade que o rege é o vislumbre de algo maior🙂

    Comentário por Ana Clara — 19/10/2009 @ 21:06 | Responder

  12. Olha, siceramente adorei o livro e confesso que ele me ajudou a enxergar muitas coisas que viviam obscuras dentro de mim. Ele veio num momento em que eu estava precisando muito de esclarecimentos e renovação.
    Como Deus se mostra uma pessoa simples, que ama profundamente seus filhos acima de qualquer expectativa e que não devemos julgar o próximo e sim procurar perdoar e fazer o bem…
    Pode ter certeza que recomendo o livro a qualquer pessoa que queira refletir o amor.

    Comentário por Synara — 12/04/2010 @ 00:27 | Responder

  13. Poxa queria saber se Mackenzie é real? ainda estou lendo o livro é muito diferente, vai de encontro a varias coisas que ja ouvimos e aprendemos desde pequeno…mas nao quero falar muito pois não li ainda todo, mas tira essa duvida quem puder.Bjos.

    Sou envangelica.

    Comentário por Dani — 03/09/2010 @ 17:48 | Responder

  14. Mackenzie é uma personagem que representa seres humanos normais como eu ou você. O autor quis criar a situação de que um humano normal pode um dia tomar café com Deus (falando de uma maneira beeeemmmm simples)

    Comentário por barbieauglend — 04/09/2010 @ 23:02 | Responder

  15. estou lendo esse livro estou gostando ele(a) tem uma opiniao e outras pessoas tambem acho que devemos respeitar isso pois cada um com seu cada um acho que esse livro fala muito do amor de deus e de como é sofrer um perda eu recomendo sim a leitura desse livro tenho 10 anos ainda nao termienei de ler mas creio que vou gostar por que mesmo na metada eu ja estou amando esse livro!

    Comentário por luana gomes — 28/10/2012 @ 22:50 | Responder


RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: