TrocaLetras

16/09/2008

As Crônicas de Artur – Bernard Cornwell

Filed under: Adulto,Fantasia — Marcos Rodrigues @ 23:34

Bem, como vai ser meu primeiro post, vou falar do autor de 4 dos últimos 5 livros que li, Bernard Cornwell, mais precisamente de seu trabalho mais conhecido no Brasil, As Crônicas de Artur!
O autor me foi indicado por uns amigos, mas a trilogia foi outra, A Busca do Graal, mas o que me chamou a atenção mesmo foram As Crônicas.. , eu sempre me interessei pela estória (historia?) do Rei Arthur, desde que assisti aquele desenho A Espada era Lei, da Disney, interesse esse somado a linda capa do primeiro capitulo da trilogia (O Rei do Inverno), abandonei A Busca.. e fui conferir a obra As Crônicas.., e não é que gostei tanto que se tornou um dos meus preferidos? Me deparei com uma ambientação extremamente realista onde não havia espaço para uma espada fincada numa pedra, ou para Avalon, e nem mesmo para uma távola redonda, os povos da Britania estavam todos divididos e prestes a serem atacados pelos saxãos, e ainda viviam conflitos religiosos entre os pagãos e cristãos.
Artur é o filho bastardo do Rei Uther Pendragon e o grande líder dos guerreiros da Dummonia, ele jura conduzir seu sobrinho Mordred ao trono, dentre seus guerreiros está Derfel Cadarn, o narrador da estória, durante o desenvolver da estória podemos encontrar muitos dos personagens conhecidos, mas na sua maioria de maneira desconhecida (é impossível não odiar o aproveitador e covarde Lancelot), e a meu ver, é o que realmente prende a atenção, a visão totalmente diferente das versões conhecidas e personagens mais verossímeis, além de uma forte ambientação histórica, característica das obras do autor! (Obs: os livros a que me referi no começo do post foram os 4 primeiros volumes de As Aventuras de Sharpe, principal obra do tio Bernard!)

Em tempo: os 3 volumes deAs Crônicas.. são

O Rei do Inverno, O Inimigo de Deus, Excalibur

7 Comentários »

  1. Eu tenho uma visão mais romanceada da história do Rei Arhur, culpa da Marion Z. Bradley rsrs
    Vou escrever algo com essa visão.
    Pra quem curte História, Cornwell parece um prato cheio =)
    Talvez um dia eu tente ler algo dele.

    Comentário por Pandora — 17/09/2008 @ 12:11 | Responder

  2. Ah, Bernard Cornwell é meu ator preferido, e logo atrás está Conn Iggulden!

    Acho uma das experiências mais emocionantes da leitura, se sentir lá pelo ano 500 d.c. E é justamente assim que o Cornwell te faz sentir. As histórias deles carregam muitos acontecimentos históricos, misturados de forma muito convincente com a ficção. Mas não só os acontecimentos são reais (em sua maioria), como toda caracterização do “mundo”. Os castelos de barro, madeira e sapé, a sujeira das casas, o cheiro nojento da casa fria e esfumaçada. As ruínas romanas, o terror de uma parede de escudos… Até a magia, presente no livro, é mostrada de uma forma menos mágica, por assim dizer.

    Parabéns pela crítica Marcos, e vamos espalhar mais os livros do Cornwell, porque assim, talvez! não tenhamos que esperar uns bons 10 ou 15 anos para terminar Sharpe!

    P.S: História, é história de qualquer jeito. Estória é antigo e não é mais usado. Aqui tá a definição do Aurélio :

    estória : 1. V. história.

    [Recomenda-se apenas a grafia história, tanto no sentido de ciência histórica, quanto no de narrativa de ficção, conto popular, e demais acepções.]

    História do Brasil, sabemos que não é ficção. História do homem aranha, sabemos que é. História do Bernard Cornwell… bem, fiquemos em dúvida!

    No inglês sim, existe diferença entre “History” e “story”. Mas é outra língua né?😀

    Comentário por Gustavo Maia — 17/09/2008 @ 16:06 | Responder

  3. Quem tem “As Brumas de Avalon” como livro de cabeceira, certamente não vai gostar dessa trilogia. Gostos à parte, a obra é muito boa. Uma versão mais realista de Artur, que até hoje continuamos sem saber se é realmente lenda ou não. Alguma cenas de batalhas descritas nesses livros são impressionantes, de arrepiar mesmo. Temos uma Morgana mais maligna do que nas Brumas, e um odioso Lancelot, nem um pouco leal à Artur. A melhor história sobre Artur que eu já li ou assisti.

    Comentário por sandraartoni — 18/09/2008 @ 23:38 | Responder

  4. Simplesmente maravilhoso.
    Houveram críticas absurdas sobre a mudança de personalidade de personagens e vários eventos, como se Artur não fosse uma lenda, não fosse ficção.
    Foi impossível para muitos abstrair as estórias que escutaram desde a infância, em versões cinematográficas e animações Disney. Foi impossível perdoar o Merlin trapaceiro, Lancelot traiçoeiro e a linda Morgana deformada pelo fogo…
    O livro é fantástico, novo, criativo. Ambienta o leitor no tempo selvagem e sangrento em que ocorrem os fatos. Excelente leitura.

    Comentário por Max Wolf — 18/02/2009 @ 20:06 | Responder

  5. Obrigado pelo comment, Max! O Cornwell baseou esse livro em relatos que existira um comandante chamado Arthur, que teria vencido batalhas contra os Saxões nessa epoca, porém esse nome era bem comum nessa epoca (ele mesmo explica isso no livro), concordo com tudo o que vc disse, realmente acho uma pena que tenham malhado tanto essa obra, muitas pessoas tem uma crença praticamente religiosa no “Rei” Arthur, acreditando mesmo que ele não morreu, ou que voltará para reinar sobre os Britanicos, respeito todas as opiniões, mas se já foram dadas tantas visões da lenda, por que não uma assim, mais “possível” e “real”?

    Comentário por Rodrigues Marcos — 18/02/2009 @ 22:13 | Responder

  6. Ainda está faltando seu comentário sobre “Crônicas Saxônicas”.
    Se não leu, o que está esperando? Corre, cara… é a coisa mais fascinante que já li!!!

    Ah… não deixe de ler “O Escudo de Talos”.
    Se ambienta em Esparta e se isso não é suficiente para atrair sua curiosidade, o herói (Talos) é aleijado e portanto foi deixado na floresta pelos seus pais espartanos para ser devorado por lobos, como manda a lei de esparta para qualquer criança que venha a nascer aleijado. E então ele é criado por um velho Hilota (Povo escravisado pelos espartanos). O resto você descobre em noites sem dormir…rs
    Recomendo!

    Comentário por Max Wolf — 19/02/2009 @ 12:39 | Responder


RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: